segunda, 18 de novembro, 2019

Após condenação de Robinson Almeida, Neto diz que doará R$ 50 mil da indenização às Obras Sociais de Irmã Dulce.Ver mais...

 
O prefeito ACM Neto (DEM) anunciou que ele e sua mãe, Maria do Rosário Magalhães, doarão os R$ 50 mil que receberão em indenização por danos morais na ação ajuizada contra o deputado Robinson Almeida (PT) – vice-líder da bancada governista na Assembleia Legislativa da Bahia.

“Os 50 mil reais que ele há de me pagar pela condenação eu vou integralmente doar às Obras Sociais de Irmã Dulce. Penso que minha mãe vai fazer o mesmo, pelo menos foi o que ela me disse ontem”, declarou Neto nesta quarta-feira (30), em coletiva à imprensa.

Robinson foi condenado a 1 ano 9 meses e 23 dias de prisão pelos crimes de calúnia e difamação por ter feito uma publicação em rede social, em março de 2018, acusando o prefeito de repassar indevidamente à mãe a quantia de R$ 2,8 milhões de verba municipal para beneficiar o Parque Social, instituição que ela preside.

A detenção foi convertida em prestação de serviços comunitários, acrescida do pagamento de R$ 30 mil para ao prefeito e R$ 20 mil para Maria do Rosário Magalhães. O BNews teve acesso à íntegra da sentença assinada pelo juiz Ricardo Augusto Schmitt e publicada nesta terça-feira (29) no Diário de Justiça Eletrônico. 

Além disso, Robinson Almeida pode ter os direitos políticos suspensos, logo após o trânsito em julgado da ação no primeiro grau, que acontece 15 dias após a expedição da sentença, caso não haja recurso da parte condenada.

“A pessoa que está na vida pública tem que ter um limite, ela não pode sair acusando os outros de qualquer coisa. E comigo é assim, se houver uma ofensa inaceitável à minha honra eu vou buscar reparação, buscar na Justiça em relação a este deputado e existem outras ações contra outras pessoas que igualmente promoveram disseminação de palavras mentirosas, falsas [...]  Eu me sinto muito aliviado com essa sentença, sinto que minha honra foi preservada e reparada e, repito, faremos a doação integral desse valor”. 

Com o trânsito em julgado, o nome do deputado também passa integrar o Centro de Documentação e Estatística Policial (CEDEP), que expede o certificado de antecedentes criminais.

Publicidade Baixo Internas