terça, 22 de outubro, 2019

Ministério da Educação faz pedido às escolas e recebe rejeição e crítica logo em seguida.Ver mais..

 
O Ministério da Educação mandou na segunda (25) para todas as escolas do País um e-mail pedindo que as crianças cantem o hino nacional e que o momento seja gravado em vídeo.
A Ordens dos Advogados afirmaram que a medida pode levar o MEC a ser questionado judicialmente. 
 
A deputada estadual eleita Janaina Paschoal(foto), (PSL-SP) criticou o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, pelo envio de e-mail a escolas de todo o País com orientação para que alunos fossem filmados cantando o hino nacional,como noticiou o Estado.
"Ministro, contrate urgentemente um assessor jurídico, especialista em ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente)", escreveu Janaina nesta terça no Twitter. "Não se pode sair filmando as crianças (isso vale para os amantes de face, insta, etc). Ademais, primeiro realize algo concreto e os elogios virão naturalmente."
Ao rebater comentários de que o e-mail poderia se configurar como um crime de responsabilidade, como a acusação que fundamentou o pedido de impeachment de Dilma Rousseff (PT) e da qual Janaina foi coautora, ela diz que a mensagem enviada pelo MEC é "surreal".
"Estou me divertindo, vendo a moçada, que vive bradando que o impeachment (de Dilma) foi golpe, tentar transformar um e-mail do Ministro da Educação em crime de responsabilidade. É verdade que o email foi surreal, mas esse pessoal não enxerga o ridículo da desproporção das próprias reações."
Ministro, contrate urgentemente um assessor jurídico, especialista em ECA. Não se pode sair filmando as crianças (isso vale para os amantes de face, insta, etc). Ademais, primeiro realize algo concreto e os elogios virão naturalmente...
Problema resolvido: O ministro da educação admitiu erro quanto ao islogan e a filmagem que era pra ser realizada e não será feito.
É assim que as coisas andam bem, quando reconhecemos os nossos erros e os dos outros.Temos que aprender com nossos erros e como os erros dos outros.
 
Publicidade Baixo Internas