segunda, 18 de novembro, 2019

Ministro Gustavo Bebianno ameaça usar documentos contra Bolsonaro caso seja demitido

 
O grande suspense no Brasil é saber se Gustavo Bebianno, que deve ser demitido da secretaria-geral da Presidência, vai se vingar – ou se tem mesmo munição.
Neste domingo, ele disse um emissário de Jair Bolsonaro, segundo a Veja, que tem “papéis e documentos” capazes de fazer estragos, revelando segredos da campanha eleitoral e da transição.
Ex-presidente do PSL, Bebianno foi um dos principais auxiliares de Bolsonaro na campanha e participou de toda sua estratégia e implementação.
Trecho da nota da Veja
Foi perguntado sobre possíveis gravações, como conversa de celulares. Nada respondeu.
Em sua coluna no G1, o jornalista Gerson Camarotti captou um pedido de desculpas de Bebianno ao Brasil, por ter ajudado a eleger presidente.
“Preciso pedir desculpas ao Brasil por ter viabilizado a candidatura de Bolsonaro. Nunca imaginei que ele seria um presidente tão fraco”, disse Bebianno para um aliado, numa referência à influência dos filhos do presidente no rumos do governo, especialmente o vereador Carlos Bolsonaro.
Lauro Jardim captou essa frase:
“Perdi a confiança no Jair. Tenho vergonha de ter acreditado nele. É uma pessoa louca, um perigo para o Brasil.”
Publicidade Baixo Internas